terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

CÂMARA QUER DESTRUIR ESPAÇO VERDE!





















Vamos ajudar a evitar a destruição do espaço verde junto à avenida S. Lourenço da Barrosa (antiga V 6). É um espaço digno, bem arranjado, que deve ser preservado.
Encontra-se em fase de apreciação a construção de uma estação de lavagem de automóveis naquele espaço.
Apesar de o proprietário não ser dono da maior parte do terreno (a maior parte é pertença de todos nós, é da Câmara), mandou-o entaipar. Só não o fez devido à oposição dos moradores da Urbanização Santo Expedito.
Respeitando todos os munícipes e utentes, deveria a Câmara Municipal de Portimão preservar o
Património Vegetal Municipal, não deixando utilizar aquele espaço para outro fim que não ZONA VERDE. Depois do que foi gasto na plantação de árvores e arranjos envolventes, é dever da Câmara tratar e preservar.
Em defesa do Ambiente e da qualidade de vida, o Marafado apela a todos os portimonenses para que estejam presentes na QUARTA FEIRA, 17/2/2010, NA SESSÃO DE CÂMARA, às 10 horas,a fim de defenderem os seus interesses.

10 comentários:

Anónimo disse...

A câmara de Portimão quer transformar a principal avenida da cidade numa estação de serviço. A av. S. Lourenço da Barrosa, antiga V6, devia ser a nossa Av. da Liberdade, só por falta de visão estratégica para a cidade é que se permite destruir espaços verdes e implantar actividades industriais que não dignificam nada a cidade e prejudicam a qualidade de vida da população.

Francisco disse...

A ligação que dizem pretender fazer, entre a Estrada de Alvôr (lado poente) e a V6 (lado sul), tem mais inconvenientes que vantagens para os residentes locais e para a população de Portimão:
- Destrói o pouco espaço verde que existe no bairro
- É incoerente com o ordenamento do trânsito no local, porque no troço dos Três Bicos, a Estrada de Alvôr, só tem um sentido (Portimão-Alvôr)
- Para trânsito local há outras alternativas satisfatórias
- A construção desta ligação foi posta de parte, quando construiram a V7 (Av. das Olimpiadas) e construiram o espaço verde que agora querem destruir
- A unica justificação que pode haver para fazer esta obra, é servir o interesse privado da instalação industrial
- A estação de lavagem de carros, naquele local, prejudica a qualidade de vida dos moradores e não acrescenta nada à cidade
- Na Av. S. Lourenço da Barrosa já existem 8 estações de lavagem de carros
- Construir, agora a referida ligação, é um desperdicio de dinheiros públicos, que poderão ser antes utilizados em obras de mais urgência e utilidade.

Anónimo disse...

- Este projecto vai destruir um espaço verde que é de todos nós, visto o lote de terreno da obra prevista não ter área suficiente para a implantação da mesma, acabando por ocupar uma grande parcela de terreno público. Além disso como qualquer cidadão pode constatar, bastando para isso deslocar-se ao local e ver que existem caminhos pedonais para mais fácil acesso á cidade,que são utilizados pela população residente na zona dos 3 Bicos e áreas circundantes e que irão ficar completamente vedados por esta obra.
- Esta é mais uma obra desnecessária para a localidade em virtude de já existirem na proximidade bastantes lavagens para viaturas, acabando por constituir também mais um atropelo ao trânsito que circula na Av. V6.
Apelamos ao bom senso por parte das autoridades municipais para que não seja autorizada a construção de mais uma obra que só irá trazer prejuízo á qualidade de vida da população.

Pereira disse...

Parabéns pelo seu artigo, é com iniciativas destas que se defende os interesses da população. Todos não somos demais para melhorar Portimão. Assim queiram as autoridades dar-nos ouvidos e não pensar em nós apenas nas campanhas eleitorais.

João Gaivão disse...

João Gaivão
Portimão é como a maioria das cidades do Algarve, são sítios onde a qualidade de vida dos seus habitantes são desprezadas por quem afinal foram eleitos para zelar por esse direito. Depois de estarem no poder, começam as negociatas, os amigos, as licenças de construção para garantirem receitas que lhes paguem as mordomias habituais. Os espaços verdes são a essência desse bem estar e qualidade de vida, mas como este exemplo ilustra para a Câmara de Portimão isso é relegado para segundo plano. Para quando um país civilizado?

O Desconfiado disse...

O projecto de construção da estação de lavagem de carros, parece pouco limpo. Dado que o projecto apresentado inclui o espaço público e o promotor iniciou de imediato a vedação de todo o terreno, ocorre-me perguntar:
- Houve algum negócio prévio, entre o privado e alguém da câmara?
- O projecto foi "aprovado" antes de ter entrado na câmara?
- Pode um privado vedar um espaço público, sem sofrer qualquer sanção?
- Foi o promotor privado objecto de alguma sanção, por ter iniciado as obras sem aprovação prévia e sem ter afixado no local o pedido de licenciamento?

SOS Portimao disse...

Temos de aguardar para ter as respostas a todas estas questões, embora no nosso intimo saibamos muitas delas. A reunião da Câmara foi adiada para a próxima semana, assim dá tempo de prepararem o terreno.

João Gaivão disse...

Não se entende qual a razão da maioria destes comentários serem anónimos- Que moral tem quem critica não dar a cara? tem medo de quê ?
Vamos ser homenzinhos e assumirmos aquilo que fazemos e o que escrevemos de outra maneira não vale a pena
João Gaivão

João Bárbara disse...

Para que a Câmara destruisse um espaço verde era preciso que houvesse espaços verdes em Portimão. O que há são por aí uns metros quadrados de relva mal regada.

Falta um Parque da Cidade como existe muito por este País fora.

João Oliveira Leonardo disse...

Porque não mostrar à câmara e à junta o nosso desagrado em relação a esta situação? Mandem e-mails, eu já fiz a minha parte

geral@cm-portimao.pt e jfp@jf-portimao.pt